CFP: Global Debates in the Digital Humanities
Domenico Fiormonte, Sukanta Chaudhuri, and Paola Ricaurte, Editors

Deadline para resumos (500 palavras): 7 de novembro de 2017

Part of the Debates in the Digital Humanities Series
A book series from the University of Minnesota Press
Matthew K. Gold and Lauren F. Klein, Series Editors

English | Español | Português | Français

Onde acontecem as Humanidades Digitais? Elas foram descritas a partir de várias metáforas – “big tent”, “trading zone”, “expanded field”, etc. – talvez faltando dar um passo adiante: trabalhar a ideia do pluralismo digital vinculado à nova dimensão geográfica e geopolítica. Nosso objetivo neste projeto é, portanto, construir uma representação diferente das Humanidades Digitais baseada na diversidade cultural e política que é, em primeira instância, epistemológica. Estamos convencidos que está se projetando um amplo debate sobre a aplicação das tecnologias digitais para o estudo de artefatos culturais em contextos, países, culturas e línguas distantes dos centros dominantes das Humanidades Digitais no Ocidente. Também acreditamos que tais debates refletem diferentes visões das Humanidades Digitais, incluindo discussões nas quais as Humanidades Digitais não são conceitos dominantes no desenvolvimento de abordagens tecnológicas das ciências humanas. Conforme Claude Alvares em seu livro Decolonizing History: “A ideia de que podem existir tecnologias alternativas implica em si mesma a ideia do pluralismo tecnológico no lugar do monismo tecnológico até agora quase universalmente aceito. Neste caso, cada sistema social e cada ideologia política, de fato cada cultura, seriam livres para cultivar suas próprias linhas particulares.”

Seguindo tal linha, convidamos a comunidade acadêmica à submissão de propostas de artigos que contribuam para a coletânea de ensaios intitulada Global Debates in the Digital Humanities: uma coleção sobre os desafios e problemas da prática das Humanidades Digitais em contextos geográficos, culturas e países diversos, especialmente, mas não limitado, ao chamado “Sul Global”. O objetivo da compilação é destacar o trabalho criticamente engajado de acadêmicos de fora do mundo anglófono que contribuem para o desenvolvimento do campo, mas cujas análises não tenham recebido a devida atenção por razões culturais, políticas e/ou linguísticas.

Apesar da ênfase em trabalhos inéditos, a coleção poderá incluir um número de trabalhos publicados inicialmente em outras línguas que não o inglês, como postagens em blogs, ensaios online etc. Os trabalhos eletrônicos podem ser propostos por seu autor ou por outra pessoa. Será responsabilidade do autor a autorização dos direitos de copyright quando necessário.

Critérios:

Os artigos poderão abordar qualquer aspecto das Humanidades Digitais globais, com os seguintes princípios em mente:

  • Os artigos devem abordar assuntos e problemas que os praticantes das Humanidades Digitais em contextos culturais dominantes e/ou convencionais normalmente não enfrentam. Estamos particularmente interessados em contextos não-anglófonos e não-ocidentais.
  • Espera-se que a maioria dos ensaios trabalhe com material em línguas que não sejam inglês, com ênfase nas línguas não-ocidentais. Gostaríamos de receber ensaios sobre situações em que não apenas os dados, mas também a interface de usuário utilize uma língua outra que o inglês, especialmente uma não-ocidental.
  • Ainda que muitos artigos apresentem trabalhos específicos, o foco deverá ser não a descrição do projeto, mas algum assunto, questão ou problema mais amplo, e responder a uma pergunta ou apresentar um argumento sobre tal assunto. Por exemplo, o material abordado envolve algum desafio técnico específico – por exemplo, com fontes não-latinas, teclados, OCR, protocolos de codificação ou criação de metadados? Tais problemas são de acesso ao material, ou são desafios sociais de resistência? Como tais problemas são solucionados (ou não), e quais lições ou benefícios para futuras empreitadas podem ser deles apreendidos? As questões técnicas e acadêmicas podem levar a problemas mais amplos de políticas culturais, mas elas devem surgir da discussão de projetos e/ou problemas relacionados às Humanidades Digitais. Questões sobre políticas culturais serão orgânicas a todo o material do volume. Ainda assim, elas deverão surgir sempre dos projetos ou problemas de Humanidades Digitais debatidos.

Temas:

  • Os temas podem incluir, mas não estão limitados, aos seguintes:
  • Humanidades Digitais e epistemologias do Sul
  • Humanidades Digitais e teoria sobre/a partir do Sul
  • Humanidades Digitais e perspectivas críticas do Sul
  • Humanidades Digitais e crítica cultural
  • Crítica das Humanidades Digitais
  • Humanidades Digitais pós-coloniais
  • Computação decolonial
  • Histórias alternativas das Humanidades Digitais
  • Geopolítica das Humanidades Digitais
  • Hegemonias digitais
  • Humanidades Digitais e metodologias alternativas
  • Geopolítica dos códigos
  • Desafios técnicos e tecnológicos das Humanidades Digitais com materiais não-anglófonos e caracteres não-latinos
  • Humanidades Digitais e tecnologias alternativas
  • Open Humanities
  • Humanidades Digitais e políticas públicas
  • Humanidades Digitais e comunidades locais
  • Humanidades Digitais e problemas interculturais
  • Humanidades Digitais e multilinguismo
  • Humanidades Digitais e conhecimento indígena
  • Humanidades Digitais e “digital divides”
  • Humanidades Digitais e debates políticos
  • Humanidades Digitais e mudanças sociais no Sul Global
  • Humanidades Digitais e inovações cidadãs do Sul
  • Humanidades Digitais e complexidade social
  • Humanidades Digitais e estudos de vigilância
  • Humanidades Digitais e Big Data do Sul

Extensão:

Os artigos não devem exceder 5000 palavras. Diagramas ou ilustrações (300-600 dpi) podem ocupar 3 a 4 páginas. É possível incluir diagramas adicionais se o texto for mais curto. Mais espaço será considerado apenas em casos excepcionais.

Língua:

O livro impresso será publicado em inglês. Haverá também uma versão digital em http://dhdebates.gc.cuny.edu na qual as versões originais em outras línguas poderão ser publicadas ao lado de suas traduções para o inglês. É responsabilidade dos autores entregarem traduções em inglês e certificarem-se de sua acuidade. Os editores podem avaliar versões originais em espanhol, português, italiano e/ou francês; poderão tentar encontrar avaliadores em outras línguas, mas não se comprometem. Artigos em todas as línguas que não sejam a inglesa devem ser submetidos com sua tradução para o inglês.

Resumos:

Resumos de não mais que 500 palavras poderão ser submetidos em inglês, espanhol, italiano, português ou francês com tradução para o inglês. Os resumos devem ser submetidos a todos os editores até 7 de novembro de 2017. Os aceites serão enviados em 15 de janeiro de 2018. Os autores serão requisitados a submeterem os artigos finais, com todas as imagens e demais materiais, mais tradução quando necessária, em seis meses a partir do aceite.

Avaliação e peer review:

Todos os artigos serão avaliados pelos editores e passarão pelo processo da editora de avaliação por pares. Além disso, de acordo com as práticas da coleção Debates in the Digital Humanities, haverá um processo de avaliação por pares no qual cada contribuinte será requisitado a comentar pelo menos dois artigos.

Datas importantes:

  • Resumos até: 7 de novembro de 2017
  • Notificação de aceites: 15 de janeiro de 2018
  • Envio de proposta à editora: 15 de fevereiro de 2018
  • Deadline dos artigos completos: 15 de junho de 2018
  • Avaliação por pares: julho de 2018
  • Resultado das avaliações: 1º de setembro de 2018

Por favor, contate os editores a respeito de qualquer dúvida:

Convocatoria en inglés

(Tradução em português de Marcio Telles)